7.29.2009

outras correntes





dentro de mim há um cheiro a mar distante. forte. que há tanto tempo se impregnou. por não te ver, invento-te. como ele te inventa.


"histórias do barco da velha", ruma a bom porto

7.23.2009

correr por gosto



cansa e cansa muito, traz é consigo outros sabores. sabores de satisfação. de olharmos o nosso trabalho a ser reconhecido.
a pouca frequência deve-se a um novo livro e a uma agenda para 2010 (a deste ano ficou nas fantásticas mãos da Carla Pott), mas estou por aqui.

7.20.2009

aprender a brincar






Roberto Sgrilli nasce em Florença a 23 de Outubro de 1897. Mais tarde estuda Belas Artes, com Galileo Chini e Augusto Bastianini. Dedica-se à pintura e à publicidade, mas é como ilustrador que o seu trabalho é reconhecido.
Nos anos 40 aventura-se no cinema de animação com “O Barão de Münchhausen”, 1941 e em 1942 com Anacleto Faina, vencedor de um prémio em Veneza. No total ilustra cem livros para crianças, onde se destaca a criação de um Pinóquio em 1930 e outro em 1946. Criou ainda a personagem “Formichino”, o qual desenhou entre 1936/41, deixando para Sergio Asteriti a sua continuação. Morre em 1985.

A Hora e o Litro e Tu medes e Eu Peso são originalmente editados em 1969/70 pela Casa Editrice Capitol, Itália e adaptado pela Didáctica Editora nos anos 70

7.07.2009

a banhos






Tudo na vida são ciclos, a própria natureza também tem os seus. Ontem o M. também terminou um e em Setembro começa um novo, com novas responsabilidades. Confesso que tenho passado os últimos meses a questionar-me sobre a maturidade para tal.

Conversei com amigos-pais que em determinado momento também tiveram de optar se os seus filhos iriam com 5 quase 6 para a escola ou se esperariam mais um ano. Falei com educadores-amigos, com o pediatra, tudo indicava que mais um ano não faria mal, não houvesse um mas.
A verdade é que com 5 anos e meio o Manel aprendeu a lógica silábica. O pleno uso da mecânica do som e do seu conhecimento levou-o a começar a escrever sozinho (mesmo com erros), conceitos básicos de aritmética juntou-se a este querer saber mais.
Em Setembro o Manel começa um novo ciclo, comigo menos preparada do que ele.

Mas por agora é tempo de aproveitar os dias grandes, solares, as férias, a praia, os jantares que se estendem na noite e nada melhor que o texto de Maria Isabel César Anjo e as imagens admiráveis de Maria Keil, numa edição Sá da Costa Infantil de 1981.
O Verão é o tempo grande surge no paladar dos pêssegos e na beleza das zínias e das sécias.

Do livro sobre o Outono falarei mais tarde porque é dedicado aos meninos que vão pela primeira vez à escola.

Das três maçãs que mostrarei numa outra altura, apenas uma referência por achar lindíssimo o título da colecção editada pela Livros Horizonte, em 1988 – Histórias de Amor de Mais.

a banhos é uma imagem de filhos de amigos numa sardinhada no campo e que faz lembrar a ilustração acima, em que o texto diz "É o tempo/ dos meninos/ que não têm fato de banho/ andarem nus/ a brincar nos regatos"

7.01.2009

daqui e dali






Talvez dos livros mais bonitos e interessantes que vi ultimamente. Os de cima e os de baixo é um livro da autoria de Paloma Valdivia que nos surpreende por uma sensibilidade poética e estética acompanhada de uma originalidade singulares.

Quase como um espelho, onde a similaridade e a diferença são uma constante. O traço da chilena faz-me lembrar também o trabalho de Kveta Pacosvská, outra ilustradora que gosto muito.

Espanha ganha agora um novo livro desta autora, pelas mãos de um fantástico projecto editorial que se chama Faktoría K de Libros

Editado pela Kalandraka, Os de cima e os de baixo é dedicado também ao compositor Michael Nyman.

Um pouco do som deste livro aqui e uma homenagem a Pina Bausch através de um texto de Wim Wenders na sua despedida.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...