10.28.2009

família



Fui convidada pela Ana para integrar uma exposição colectiva de presépios e embora sejam peças de que gosto muito (aqui, aqui), não sinto nenhum apelo em reinventá-los, pois acredito que existem pessoas que o farão muito melhor do que eu.

Mas aceitei o desafio interpretando o tema enquanto conceito de família, recorrendo mais uma vez, e sempre a objectos com história, como é o caso da pauta de 1907 com músicas religiosas.

O branco enquanto candura, a casa enquanto unidade familiar, a mulher geradora de vida, a linha enquanto cordão que prende à vida. espero que gostem

10.22.2009

correcção



ao contrário do que tinha dito a agenda da revista Pais e Filhos sai já amanhã juntamente com a revista de Novembro

confesso que aguardo com alguma ansiedade porque ainda não a vi impressa

10.20.2009

rainy day



como se lembrou o Alexandrino, hoje o Torcato entraria por uma qualquer porta a dizer "a chuva faz muita falta: no campo."

um post ao som de Nora Arnezeder

still completely addicted

10.16.2009

de casa e de histórias



O dia respirava ainda a Verão, mas talvez por ser de manhã e a um dia de semana, contavam-se pelos dedos das mãos as pessoas que visitavam "A casa das histórias Paula Rego".
Um espaço que por si só tem o peso que tem, não fosse ele, de um dos meus arquitectos de eleição, além de reunir obviamente a obra da pintora de histórias por excelência.

Quando falo de casa e de histórias, prende-se ao facto daquela terra continuar a ser a minha casa, ou pelo menos ainda a sentir como tal, apesar desta diluição de sentimentos, a juntar à minha paixão pela Galileu (também presente naquele espaço), porque é sem dúvida uma das história da minha vida. Resisti a não me perder em alguns livros, mas que na próxima visita e já com o Manel, não sei se consigo.

mais fotos aqui

10.14.2009

na recta final



a duas ilustrações (quase prontas) de terminar o livro "Histórias do barco da velha", sinto a necessidade de respirar outros ares, com outras ilustrações antes de me dedicar a uma pequena nova exposição.

algumas ainda disponíveis aqui

10.04.2009

aprender a brincar



Uma das coisas que para mim é francamente delicioso é o ver o interesse do Manel em (quase) tudo.

Ontem e a propósito de ele querer desenhar pássaros a voar e não saber bem como eram as asas, lembrei-me de ir buscar "a minha primeira enciclopédia" da editorial verbo (1967), uma colecção que me acompanhou também nesta nova fase da vida dele e acompanhada de lindíssimas ilustrações de Herbert Pothorn.

os pássaros acabaram por ser deixados de lado e as árvores acabaram por ganhar com isso.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...