4.29.2014

Livro do Bebé

esta semana chegou finalmente às bancas o "O Livro do Bebé" editado pela revista Pais e Filhos.

soube-me bem ter este filho nos braços porque exigiu muito trabalho e em muito pouco tempo.

de parabéns está também o outro lado, o que produziu e imprimiu com o mesmo cuidado que se agarra um recém nascido.

estou feliz com a impressão e com o papel. podia ser maior e se esgotar pode ainda ser se o quiserem porque os originais têm o dobro do tamanho.

gostava de ter tempo para agradecer as inúmeras mensagens que me têm enviado e os mails. um por um, mas neste momento não consigo. trago nos braços outro filho e o tempo escapa-me por entre lápis e papéis.

por isto tudo decidi fazer um "giveaway" de uma ilustração que não entrou no livro e será sorteado a quem colocar uma imagem do livro que adquiriu na sua página de FB, blog ou enviada para o mail rreimao@gmail.com. É necessário fazer o tag com Rute Reimão para eu ter acesso à mesma.


ainda não tive tempo para adicionar o livro com todas as páginas visíveis à coluna da direita, mas assim que tiver tempo irei fazê-lo.

obrigada

4.27.2014

soneto do amor e da morte

Foz do Douro, 3 de janeiro 1942 - Lisboa, 27 de abril de 2014

soneto do amor e da morte

quando eu morrer murmura esta canção
que escrevo para ti. quando eu morrer
fica junto de mim, não queiras ver
as aves pardas do anoitecer
a revoar na minha solidão.

quando eu morrer segura a minha mão,
põe os olhos nos meus se puder ser,
se inda neles a luz esmorecer,
e diz do nosso amor como se não

tivesse de acabar, sempre a doer,
sempre a doer de tanta perfeição
que ao deixar de bater-me o coração
fique por nós o teu inda a bater,
quando eu morrer segura a minha mão.

 Vasco Graça Moura, in "Antologia dos Sessenta Anos"

4.21.2014

de estarmos juntos

ir a casa é sinónimo de família e de mar.

ir a casa é tempo de férias.

ir a casa é redobrar o cansaço.

no verão descobrimos o Boteco da Linha em São Pedro do Estoril e confesso ser dos poucos sítios perto de casa onde gosto de jantar.

o Boteco pretende ser um ponto de encontro muito informal, com o toque especial do artista plástico Tomás Colaço.

por estes dias juntei a miudagem, que já está tão crescida e jantámos.

eu com ele(a)s, sem os pais e soube bem a partilha de histórias e o comungar de um espaço que também lhes é agradável.

ir a casa é redobrar o cansaço, mas é também vir com o coração a transbordar de amor.

a última foto foi retirada do banco de imagens do Boteco

embalar a alma

o M. já tinha ouvido falar nos Stomp na aula de música e uma vinda do famoso grupo ao CCB proporcionou-lhe a experiência de ouvir e ver ao vivo este grupo de percussão que fazem música com vários objetos do lixo, aliando a dança e a dramatização aos seus espectáculos.




e sabe bem partilhar estes momentos com os suspeitos do costume.

hoje, o Manuel tem a sua segunda audição. treina, engana-se. volta a tentar. e apesar de pouco já me sabe a muito.



por aqui já se fazem planos para os Dias da Música. marcados estão pelo menos três concertos

Gustav Mahler Sinfonia n.º 7 | Orquestra Sinfónica Metropolitana de Lisboa | ichael Zilm direcção musical

NEW ORLEANS – DAS ORIGENS DO JAZZ | Desbundixie | Vânia Fernandes voz | Pedro Nobre piano

Debussy Reflets dans l’Eau
Prokofiev 10 Peças do Romeu e Julieta
para piano, op.75
Frédéric Chopin Estudos
Heitor Villa­Lobos A Prole do Bebê
Piazzolla Fuga y Misterio
Alberto Ginastera Malambo, op. 7
Sergio Tiempo piano

e dentro de um vasto programa está a ser difícil a escolha

4.19.2014

ausências e hoje um coração mais doce

não é só a morte que precisa de luto. há tantas coisas na vida que pedem períodos de nojo. precisei de distanciar-me deste mundo virtual onde os incautos são facilmente apanhados.

cada vez mais são menos os blogs que leio.

cansada de contos de fadas, de mundos de faz-de-conta, de pessoas irreais.

soube bem gozar estes dias com quem nos ama de verdade. que olha para nós sem projecções de um outro alguém e mesmo assim faz-nos sentir especiais todos os dias. num respirar, num olhar, num toque, numa garfada.

voltámos com o coração cheio de mimo e com a promessa de que é o último adeus porque já não suporto ver-lhe lágrimas nos olhos.

voltámos com tanto para contar.

em fevereiro os campos encheram-se de alfazema, o alecrim floriu, mas foram precisos quase dois meses para experimentar esta "receita".



do Cantinho das Aromáticas e da sua presença no Peixe em Lisboa, vieram para casa tomilho laranja e stevia

do Erva Uma Vez veio este açúcar rosmaninhado




e agora é esperar com a certeza que estes dias trouxeram a acalmia necessária para os próximos tempos.


4.08.2014

com o doce sabor da primavera



o início da semana trouxe o doce sabor dos dias mornos.

sabe bem respirar este novo ar livre de bolores e fantasmas.

o novo livro preenche-me agora as mãos, já que a alma foi tomada por este há algum tempo.

os dias precipitam-se a um ritmo violento onde só há tempo para o que é importante.

4.01.2014

levantar um pouco mais do pano

janeiro e fevereiro foram pincelados por pequenos apontamentos deste livro.

a revista Pais & Filhos lançou-me o desafio de criar um livro que acompanhasse a criança ainda dentro do seu ovo.

as frases foram surgindo à medida que as imagens ganhavam vida.

este livro acompanhará a edição de maio da revista Pais & Filhos, por um preço simbólico. depois será vendido separadamente dentro dos preços que o mercado pratica.

mais a sul, em Odemira e no âmbito do projeto "Abril, Leituras Mil", vão poder ver de perto as cerca de 70 ilustrações.

no dia 10 um grupo de crianças vão perceber o que é isto da ilustração.
todos conhecem o desenho e a pintura, mas poucos conhecem a ilustração e o que ela representa no mundo das artes.
uma área que reúne o desenho e a pintura e os leva para mais longe.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...