8.12.2015

Lourdes Castro e a 32ª semana

a exposição Lourdes Castro | Todos os livros, é uma paragem obrigatória para os amantes da arte, do grafismo e do livro enquanto objeto artístico.

esta exposição reúne cerca de 40 livros produzidos desde os anos 50 até hoje e muitos deles nunca tinham sido expostos, entre eles existe uma sala dedicada a Un Autre Livre Rouge, feito em Paris no início dos anos 70 em colaboração com Manuel Zimbro.

quando pensamos que a exposição está a terminar, ela reinventa-se nesta sala, sendo uma exposição dentro de outra.

Un Autre Livre Rouge é um trabalho começado em 73 por causa do Livro Vermelho de Mao, onde ambos recolhem tudo o que se relacione com a cor encarnada.

embora sejam dois volumes, só um deles é apresentado nesta exposição aguçando a nossa curiosidade, já que foi um livro pensado para ser exposto.

uma exposição que percorre uma linha temporal desde os seus trabalhos ao estilo do Novo Realismo onde a Assemblage, termo trazido para a arte por Jean Dubuffet, que parte do principio que todo o material pode ser incorporado a uma obra de arte, até aos seus Avessos Encadeados.

os livros bordados, da série Avessos Encadeados, são livros de duplas leituras. a palavra que do avesso passou a ser outra coisa, linhas desenhadas que já não dizem o que a agulha escreveu.

"Lourdes Castro olha agora para esse avesso – “gosto de ver o avesso, acho-o bonito, tudo pode ter interesse” – e inicia uma nova página do seu livro, em que borda as linhas desse avesso. A palavra, que já não era palavra, muda outra vez, deslaça-se um pouco mais. E Lourdes volta a virar a página e descobre o avesso do avesso. E borda-o. Podia continuar assim até ao infinito. A palavra recompõe-se noutras formas, enrola-se sobre ela mesma, perde-se no espaço. É o avesso do avesso do avesso do avesso."
in Público

uma última sala onde podemos ver cada livro a ser folheado, página a página, reduzindo a vontade de tocar em alguns deles, mas sim é pouco, falta o toque, o cheiro, o nosso ritmo de leitura.

"fur Manuel"

que me acompanha ao ritmo dele...


8.05.2015

30_31/52 e uma grande semana

a menos de uma semana do nosso regresso estamos carregados de saudades desses dias. passou tudo muito rápido...

o coração é reconfortado pelas memórias, pelos cheiros, pelas experiências e por dois possíveis projetos que nos vão devolver às ilhas.

do que aprendemos:

águas-vivas, nadámos por ignorância no meio delas pensando que o termo aplicava-se às marés. tivemos sorte...

houve tempo para contemplar a paisagem, usufruir dos banhos de mar, da comida, dos passeios, da companhia dos amigos, que nos trataram como filhos e ao contrário do que dizem sempre as previsões, o sol brindou-nos sempre.

para ser verdadeira, a tarde do último dia esteve agoniado (nublado, chuva miudinha) termo retirado do Dicionário Sentimental da Ilha de São Miguel, um choro silencioso que anunciava a nossa partida.

o encantamento que o Manuel sentiu nos os primeiros dias pelas hortênsias, levando-o a desenhá-las.

o prazer de se poder fechar os olhos e sonhar, pelo menos eu...

ficam tantas coisas por contar, tantas por mostrar (para os amigos um álbum especial)

A portrait of my son, once a week, every week, in 2015.








LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...